A moda de Greta

06mar10

Greta Garbo andou atropelando meu caminho esses dias, então resolvi saber um pouco mais sobre ela e contar aqui. Primeiro começou com o texto da @karilima no Mulherices, blog que eu super recomendo. Depois, fiquei sabendo de uma exposição sobre seu closet na Itália, por Salvatore Ferragamo (mais informações no GNT Estilo e no Fashion Foward).

Se seu interesse é saber mais sobre a história de Greta Garbo, leia o texto do Mulherices. Aqui, pretendo falar mais sobre o estilo dela.

Pois bem. Em minhas primeiras pesquisas li que a Srta. Garbo não era tão estilosa assim… Então, por que uma exposição sobre seu closet? Continuei a pesquisar e não foi tão difícil descobrir que a informação estava levemente equivocada. Na verdade, Greta era admirada por seu estilo pessoal simples, elegante e ligeiramente masculinizado. Lembrando que nessa época, Chanel já ditava o conforto na indumentária feminina com adaptações do guarda roupa masculino. E depois, lá nos anos 30, a maior referência de moda era o cinema, onde Garbo reinava. (Ela não gostava de seu primeiro nome.)

O que mais chamava atenção para seu  talento era sua expressão. Tão feminina, sexy e misteriosa que seus filmes requeriam poucas legendas. (O cinema ainda era mudo!) Ela conseguia se expressar apenas com os movimentos, principalmente das mãos, seu jeito de andar ligeiramente curvado, sua sutileza e sua expressão facial. E pensar que no começo foi tachada de ‘gorducha sueca sem retoque’. É, levou um tempo pra que ela perdesse o ar adolescente e pudesse aprofundar seus traços tão marcantes. Era uma nova mulher.

Nos anos 30, a mulher devia ser magra, bronzeada e esportiva. Ou seja, o modelo de beleza de Greta Garbo. Seu visual sofisticado, com sobrancelhas e pálpebras marcadas com lápis e pó de arroz bem claro foi muito imitado pelas mulheres. Ditou moda com seus chapéus de aba caída, criados por Adrian Gilbert. Aliás, esse estilista foi o que mais caiu no gosto sofisticado de Garbo. Além, claro, de Salvatore Ferragamo que criou um par de sapatos que agradou tanto Greta que ela mandou fazer 70 pares de uma só vez, variando, muitas vezes, apenas a cor.

Greta Garbo foi considerada uma das atrizes mais influentes da época, senão do século XX. Porém, não soube lidar com o sucesso precoce… Detestava expor sua vida particular e sua imagem. A única vez que a viram dar um autógrafo foi à uma menina  de 10 anos que desmaiou ao lhe entregar um álbum que havia feito com fotos e recortes da atriz. Greta também não soube lidar com críticas negativas e desgaste da imagem, além da 2ª Guerra Mundial, retirando-se de cena muito cedo, vivendo em reclusão. A partir de então, passou a vestir casacos e chapéus que a escondiam para que não fosse reconhecida por onde andava. Um talento perdido…

Próximo ao Dia Internacional da Mulher, nada melhor que falar de uma representante de porte!

Anúncios


2 Responses to “A moda de Greta”

  1. Nossa!

    Que texto bem escrito o seu, amiga!
    Uma delícia.
    E fotos muito bem selecionadas!

    Estranho como a gente vive uma tendência cíclica nas expressões culturais.
    O novo que vira velho, que vira novo de novo… e por aí vai.

    Vc sabia que o termo “vanguarda” é oriundo do militarismo? Vanguarda é o batalhão que precede as tropas.

    Pra fechar:

    “Um fato digno de nota é que Garbo é a única entre as grandes deusas do cinema que nunca inspirou uma boa atuação travesti. Segundo os críticos, ‘a feminilidade dela é singular demais para ser imitada. É realmente hermafrodítica, com uma frieza de sereia’.”

    Vale sempre a pena vir aqui!
    Beijo!

    • Delícia é um comentário desses!! Riqueza! Muito obrigada, pois revigora e incentiva a criatividade!

      Tendência cíclica (na moda) = vintage ou retrô. Não é o máximo?! E o que eu mais gosto no blog é essa troca de informações, pois não sabia essa da vanguarda! Legal ver como os assuntos se interligam!

      E em relação ao que você citou de Garbo, olha o que eu li nas minhas pesquisas:
      ‘Certa vez ela disse a Audrey Wilder que queria fazer um palhaço homem. “A mulher mais desejada da face da terra quer fazer um palhaço? Quem vai acreditar nisso?”, ao que ela respondeu: “Debaixo da maquiagem e das calças de seda, o palhaço é uma mulher. E as meninas da platéia escrevem cartas e não entendem por que ele não responde”. Wilder disse que isso não ia funcionar, mas entendeu que ela tinha medo do que a câmera iria mostrar: “Ela queria se esconder sob o alvaiade. Debaixo da maquiagem de palhaço, ninguém veria o rosto dela” Incapaz de ver além da própria incredulidade, Wilder não percebeu que a idéia “ridícula” era absolutamente original e poderia ter mudado a vida de Garbo e a história do cinema.’

      ‘Brigada!
      Beeeeeeeeeeejo!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: